Neoplasia(Tumor) nos animais de estimação.

Neoplasia nos animais de estimação

Neoplasia, ou tumor, é uma forma de proliferação celular não controlada pelo organismo, e também pode se desenvolver nos pets. Existem duas formas, a benigna e a maligna, mas não precisa entrar em pânico porque o tratamento de cães e gatos não é tão agressivo quanto nos humanos, principalmente quando tratado no início.



Vários fatores originam o tumor, como influências genéticas e/ou ambientais. Mas independente da causa, o tumor faz com que as células percam a capacidade de controlar de forma adequada sua proliferação e diferenciação. Nem todo tumor é câncer. No caso da neoplasia benigna por exemplo, é caracterizada pelo aglomeramento de células bem semelhantes às células que as produziram. Nesses casos o crescimento é organizado, lento e seus limites são nítidos, as células não invadem os tecidos vizinhos e não são capazes de se espalhar para outras partes do corpo que não seja o local onde o tumor surgiu (isso é chamado de metástase). Entretanto, este tipo de tumor pode comprimir os órgãos e tecidos próximos a ele. Geralmente são tratados cirurgicamente, retirando o tumor.

As neoplasias malignas, são o câncer, e apresentam células com multiplicação rápida e anormal e com características diferentes das que as originaram. Esses tumores malignos podem se disseminar para outros órgãos (metástase) e destroem tecidos adjacentes. Esse sãos os casos que levam a morte do animal. Porém, tem tratamento e o cão ou gato pode voltar a ter uma vida normal.

Alguns desses tumores podem ser prevenidos, por exemplo o câncer de mama, pode ser evitado ao castrar a fêmea, alimentá-la com ração de qualidade e não deixando que atinja o sobrepeso. Mas pode ser tratado, com cirurgia (conforme o caso) e sessões de quimioterapia, ou com eletroterapia/eletroquimioterapia. A hiperplasia prostática, não é câncer de próstata mas causa o aumento da próstata do animal, levando a dificuldade de urinar ou defecar. Geralmente atinge machos acima dos 6 anos. O tratamento e a prevenção são feitas através da castração.

A maioria dos bichinhos que morrem com câncer geralmente tem mais de 10 anos, mas atualmente graças às técnicas diagnósticas e os tratamentos, é possível que tenham vidas longas e com qualidade. Os tratamentos vão variar de acordo com o caso (já que pode ser um tumor na pele, bucal, genital), mas incluem cirurgia, quimioterapia, radioterapia, eletroquimioterapia.

Muitas pessoas se preocupam com o tratamento quimioterápico, porém existem várias questões positivas sobre o mesmo. Este tratamento utiliza medicamentos que são tóxicos às células cancerígenas e agem nas diferentes fases do ciclo celular e varia entre algumas semanas a alguns meses. Pode ser aplicado diariamente, semanalmente ou a cada três semanas. O tratamento de câncer nos animais se compara com a medicina humana, mas os efeitos colaterais associados são menos severos. A quimioterapia é o tratamento mais eficaz para a maioria dos cânceres. Existem alguns efeitos colaterais comuns, como a perda de pelos e alguns outros leves, como vômito, diarréia e náusea, que podem ser tratados com medicações orais em casa.

Então observe qualquer sinal que seu animalzinho possa apresentar. Fique atento a alguns sinais como, nódulos e massas, feridas que não cicatrizam, emagrecimento progressivo, perda de apetite, sangramento de qualquer intensidade, dificuldade de comer ou beber água, cansaço ou relutância em se exercitar, dificuldade em respirar, urinar ou defecar. É importante retornos periódicos ao veterinário para avaliação, a fim de detectar qualquer reaparecimento. Com o tratamento, dependendo do caso e do estágio em que foi descoberto, é possível que o pet tenha muitos anos a mais com qualidade de vida.


Ruhan Mendes - Redação do Notícias Pet

Receba nossas atualizações

© 2019 MeuGuiaPet LTDA