Os animais atingidos pelo rompimento da barragem.


O rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, no final de janeiro, afetou a vida de centenas de pessoas, mas também de incontáveis animais. Esses animais, domésticos e silvestres, são vítimas não contabilizadas deste desastre. Sem sirenes de alerta, os moradores deixaram tudo para trás a fim de salvar suas vidas, quando o onda de lama varria a região e com isso muitos animais domésticos como cães, gatos e pássaros além de gado, galinhas e outros, foram deixados à própria sorte.

Duas equipes tentam resgatar esses animais, uma foi contratada pela Vale e outra é formada por integrantes da comissão de desastres do Conselho Regional de Medicina Veterinária de Minas Gerais (CRMV-MG). As ONGs e institutos de defesas dos animais, não podem ajudar na parte das buscas e resgates, já que não é possível acessar o local sem autorização das autoridades, por se tratar de uma zona de risco. Os animais resgatados em Brumadinho são atendidos no hospital de campanha, improvisado na região, e depois são levados para um hospital veterinário de uma faculdade particular em Buritis, onde são tratados e passam por exames clínicos. Após todo o processo eles são encaminhados para seus donos, os que não possuem tutores vão para a adoção.

Em último caso, quando o animal não pode ser resgatado ou sobre sofrimento extremo, as equipes foram autorizadas a fazer a eutanásia nos animais. A orientação é que seja feita com anestésicos mas quando as condições não são propícias, são sacrificados com arma de fogo. Segundo o CRMV-MG, até o momento 350 animais já foram resgatados e somente dois sofreram eutanásia, um bovino e um equino.

Não é possível saber quantos animais ao todo foram atingidos pelo desastre, já que a fauna e a flora do local acabaram destruídas. Os animais silvestres resgatados também passam por tratamento veterinário e posteriormente serão devolvidos à natureza.


Para informações sobre animais em situação de risco e resgatados na região, ligue para os números 0800 0310831 (Alô Brumadinho), 0800 285 7000 (Alô Ferrovias) e 0800 821 5000.


Fato curioso: Sobreviventes do desastre afirmam que animais demonstraram comportamentos estranhos momentos antes do rompimento da barragem.

Várias pessoas viram os animais correndo antes da avalanche de lama chegar, o que pode ter salvo a vida de vários deles. Isso realmente acontece, porque os animais possuem sentidos mais apurados que os humanos e qualquer mudança no ambiente é perceptível para eles. A audição e o tato os ajudam nesses momentos. Os bichos podem ter ouvido e também sentido pelo tato, das patas na terra, vibrações antes da avalanche chegar ao local. As aves podem ter notado mudanças no ar durante o acontecido. Como os animais dependem de seus instintos para sobreviver, sua percepção com o mundo ao seu redor é muito mais apurada que a dos seres humanos.


Reportagem: Ruhan Mendes

Receba nossas atualizações

© 2019 MeuGuiaPet LTDA